sábado, 4 de setembro de 2010

Tempo, como definir?

"O tempo não para"... mas a saudade, ah! a saudade... 
A saudade faz as coisas pararem no tempo.
Por que o tempo passa tão veloz?
Por que ele não para pra a gente respirar?
O tempo é mesquinho.
É sádico.
Faz-se contrário às nossas especulações.
Quando quero que demore passar, ele voa.
Quando quero que passe depressa, parece uma eternidade.
O tempo é egoísta.
Destrói meus sonhos, meus planos.
Faz minhas vontades passarem.
O tempo grita mas eu não consigo ouvir.
Pede socorro dele mesmo.
Segundo Platão, o tempo é a imagem móvel da eternidade imóvel. 
Definitivamente, eu não sei definí-lo.
Mas devo render-me: só o tempo é capaz de reconquistar o que já foi perdido.
Ou não.

Sarah Pachêco.


II Encontro dos blogueiros: 2º desafio. Conheça idéias diferentes sobre o tema.
Participantes:  www.terceirotres.blogspot.com;  www.pedrascolor.blogspot.com  www.milacg.blogspot.com ; www.osonhardeviver.blogspot.com .

4 comentários:

Flavia disse...

"...ah... não fique triste pois nada acabou.
só dê um sorriso que o tempo vai voltar..."

Alexanndre disse...

O tempo é assim, CRUEL!!!
E esse tempo no qual proferes doi na minha alma!!!

Beijo Sarah, simplismente: Xannde!

c.miChel disse...

o primeiro sentimento que me vem na memória quando falam de tempo, é a saudade! como tenho saudades do tempo que passou. queria poder voltar no tempo pra viver mais alguns momentos.

Dan disse...

Tempo: o senhor da esperança e o desespero da razão. O movimento de um amor profano, o romper do esdruchulo esforço por sonhar. Temo que não haja tempo demais e vivo no limite do que me determinam como suficiente - ainda que haja falta, lacunas, sorrisos e paisagens que me desfalcam. E como definir é limitar, impossível definir aquilo que nos leva para uma eternidade de extremos desvarios. Não posso pedir que ele me espere, logo: melhor partir antes que me olhe com deboche e me esqueça num armário qualquer.